O ministro da Economia, António Pires de Lima, afirmou que o novo terminal de cruzeiros de Lisboa poderá gerar receitas turísticas de centenas de milhões de euros.

António Pires de Lima presidiu esta tarde à assinatura do contrato de concessão do terminal de cruzeiros de Lisboa, entregue a um consórcio constituído pela Global Liman Isletmeleri, pelo Grupo Sousa, pelo Royal Caribbean Cruises e pelo Creuers del Port de Barcelona.

A cerimónia contou igualmente com a presença dos secretários de Estado das Infraestruturas, Transportes e Comunicações, Sérgio Monteiro, e do Turismo, Adolfo Mesquita Nunes, e do presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, assim como de representantes do consórcio vencedor.

A concessão da exploração da atividade de cruzeiros no Porto de Lisboa prevê a construção de um novo terminal, um investimento estimado em cerca de 22,7 milhões de euros, que deverá estar concluído em 2015.

O prazo da concessão é de 35 anos.

Na sua intervenção, o ministro da Economia destacou a importância desta obra, apontando para os ganhos turísticos para a cidade de Lisboa e para a economia nacional.

«O turismo é essencial para o processo de recuperação económica. Não tenho dúvidas de que este consórcio vai criar as bases para o crescimento económico e para o desenvolvimento da região», afirmou o governante.

Pires de Lima referiu que o Porto de Lisboa ambiciona ser um ponto de partida e de chegada, «além de um simples ponto de passagem».

«O turismo de cruzeiros gera atualmente por ano cerca de 60 milhões de euros. Com esta obra e com os efeitos multiplicadores do turismo poderemos falar de ganhos de centenas de milhões de euros», perspetivou.

No mesmo sentido, António Costa, destacou a importância da obra para a atratividade turística da capital portuguesa.

«É uma obra fundamental para Lisboa e estou seguro de que terá um papel importante para tornar a cidade mais atrativa. O porto de Lisboa é o orgulho da cidade e sempre o será», afirmou o autarca socialista.

Segundo dados do Governo, Portugal é atualmente o 6.º destino de cruzeiros da Europa.

O trafego atual de cruzeiros na capital é de 550 mil passeiros, mas os responsáveis do Porto de Lisboa preveem que o número possa duplicar nos próximos 10 anos.

Segundo aquela entidade, cada passageiro gasta em média 97,40 euros na região de lisboa, durante a sua estada, escreve a Lusa.