O Novo Banco, que ficará com os ativos não problemáticos do BES, começa a funcionar já esta segunda-feira com a mesma imagem e agências da instituição fundada pela família Espírito Santo.

BES passa a chamar-se «Novo Banco» a partir desta 2ª feira

BES: Governo garante que contribuintes não vão suportar custos

O Banco de Portugal anunciou no domingo a injeção de 4,9 mil milhões de euros no BES para o capitalizar, através do Fundo de Resolução bancário, e o fim desta instituição, com a separação do banco fundado pela família Espírito Santo entre um bad bank ('banco mau'), em que ficam os ativos tóxicos, e o Novo Banco, que reúne os ativos não tóxicos, como os depósitos.

O Novo Banco, que será liderado por Vítor Bento, que sucedeu ao líder histórico Ricardo Salgado na presidência do BES, fica com as agências e trabalhadores do BES, sendo que na segunda-feira os balcões abrem ainda com a imagem do BES e os clientes encontrarão lá as caras habituais e os mesmos serviços.

«Os balcões do Novo Banco, que manterão para já a marca e o logotipo do BES, bem como com demais serviços de banca telefónica e online, continuarão a funcionar regularmente», disse no domingo à noite o Governador do Banco de Portugal, acrescentando que os clientes "poderão realizar todas as operações com normalidade e como habitualmente sem ser necessária qualquer alteração».

No futuro, com a entrada de investidores privados no capital deste Novo Banco, que para já fica a ser totalmente detido pelo Fundo de Resolução, poderá haver mexidas na instituição, com saída de trabalhadores e fecho de agências.

Para esclarecer dúvidas relacionadas com este processo, o Banco de Portugal criou uma lista de perguntas e respostas frequentes e criou uma linha de atendimento, que pode ser contactada pelo 707 201 409, todos os dias entre as 9h00 e as 18:00.

A chamada custa 0,10 euros por minuto de rede fixa e 0,25 euros de telemóvel. Poderá ainda ser usado o e-mail infobes@bportugal.pt.