A notícia da demissão do ministro das Finanças está em destaque nos jornais de todo o mundo, que chamam a Vítor Gaspar «o arquiteto da austeridade» e lembram que está iminente nova avaliação do programa de resgate.

«Arquiteto da austeridade demite-se» é o título publicado pelo jornal britânico de economia «Financial Times», que refere que a decisão do «líder da estratégia por detrás do programa de resgate do país» foi vista «com surpresa».

Também o norte-americano «The Wall Street Journal» (WSJ) dá destaque à decisão do ministro das Finanças português, sublinhando que o programa de austeridade de três anos «está a meio».

Para o jornal, a demissão do ministro surge «na sequência da crescente contestação aos cortes no orçamento por uma população cansada da recessão».

Em Espanha, o «El País» diz que Vítor Gaspar era «o rosto da troika em Portugal» e que a sua saída do Governo suscita «novas interrogações em Portugal», aumentando a «pressão sobre a coligação» PSD/CDS.

No «El Mundo», o ministro das Finanças é classificado como «o dirigente mais poderoso do Governo», sendo referido que Vítor Gaspar estava a preparar novos cortes na despesa.

O «L¿Express» francês também designa Gaspar como «número dois» e diz que foi o «principal responsável da estratégia económica» e «um símbolo de rigor».

A BBC inglesa, por seu lado, destaca que Vítor Gaspar «era muito considerado pelos credores internacionais» por «manter rédea curta nas finanças portuguesas», enquanto a edição inglesa do jornal «Deutsche Welle» refere que o ministro «era amplamente criticado em Portugal» pela «dureza da política de austeridade».

Também na Alemanha, a revista «Der Spiegel» diz que a decisão do ministro mostra que «Portugal pode ser a próxima Grécia».

A alcunha de «arquiteto da austeridade» é comum em órgãos de comunicação social de vários países, como é o caso do jornal inglês Telegraph, do irlandês Irish Times, do sul-africano The Post, do chinês South China Morning Post ou do canal de televisão árabe Al Jazeera.

O facto da saída de líder da pasta das Finanças acontecer no meio do processo de resgate financeiro de Portugal é a principal preocupação de títulos como o Times of India ou o Nigeria News.

O ministro das Finanças, Vítor Gaspar, apresentou na segunda-feira um pedido de demissão e vai ser substituído pela sua secretária de Estado do Tesouro, Maria Luís Albuquerque.

Numa carta enviada ao primeiro-ministro, Vítor Gaspar admitiu ter pedido duas vezes a demissão do Governo, em 2012 e já em 2013, e justifica a sua saída com a falta de «mandato claro» para concluir atempadamente a sétima avaliação da troika.

Maria Luís Albuquerque toma posse hoje, no Palácio de Belém, em Lisboa.