A agência de notação financeira Moody's manteve esta segunda-feira o rating de sete bancos portugueses, após ter subido a classificação da dívida soberana portuguesa, uma decisão que justificou com a fragilidade das instituições avaliadas.

Após a melhoria da nota da República portuguesa em um nível, de 'Ba3' para 'Ba2' (fora do grau de investimento), a agência de rating anunciou hoje em comunicado que manteve o rating de dívida e de depósitos da Caixa Geral de Depósitos, do BES, do BPI, do BCP, do Santander Totta, do Montepio e do Banif.

A Moody's explicou que a melhoria da nota de Portugal não levou ao mesmo movimento nos ratings dos bancos devido à «fraca força financeira intrínseca», à fraca rentabilidade que têm registado e aos desafios que têm pela frente para melhorar a qualidade dos ativos.

Assim, as notas da Caixa Geral de Depósitos, BES e BPI mantêm-se em Ba3, com perspetiva negativa, enquanto a do BCP fica em B1 (perspetiva negativa) e a do Santander Totta em Ba1, este com perspetiva estável.

Por último, o Montepio mantém a nota de B2 (perspetiva negativa) e o Banif de Caa1 (perspetiva negativa).

A agência de rating diz ainda que, no caso do rating do BES, essa já «incorpora os problemas financeiros e as irregularidades contabilísticas identificadas no seu acionista indireto Espírito Santo International» e garante que «continuará a acompanhar a situação de perto para avaliar qualquer impacto potencial» sobre a nota do banco.