A chanceler alemã quer alterar os tratados da União Europeia, para dar mais poderes à Comissão, em troca de maior ajuda aos países da periferia, avança a revista alemã «Der Spiegel».

De acordo com a revista, Angela Merkel pretende que o Executivo comunitário tenha o direito de estabelecer com cada Estado-membro um acordo para melhorar a competitividade, investimento e disciplina orçamental, e quer também que passe a existir um ministro das Finanças do euro.



Em troca, a chanceler propõe a criação de um orçamento extraordinário, com uma dotação de milhares de milhões de euros, à disposição dos Estados membros.

Segundo a «Der Spiegel», Merkel vai aproveitar a reunião desta segunda-feira com o presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, para apresentar o seu plano. Mas o presidente do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy, está já ao corrente do plano de Merkel.

Um porta-voz do Governo alemão confirmou que o plano existe e garante que o mesmo já é conhecido «há algum tempo».

Mas, para avançar, o plano de Merkel necessita não só da autorização dos 28 Estados membros, como do Parlamento Europeu. E aqui, a chanceler alemã poderá encontrar alguma resistência, já que, segundo a «Der Spiegel», o presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz, é contra.