A marca «Portugal Sou Eu» vai ser internacionalizada com a designação «Portugal», com o objetivo de promover os produtos, serviços e talentos portugueses nos eventos a realizar nos mercados externos, anunciou, esta quarta-feira, o Ministério da Economia.

«Depois do apelo à ligação dos portugueses aos seus produtos, agora há o alargamento desse apelo ao mundo», afirmou o secretário de Estado da Inovação, Investimento e Competitividade, Pedro Gonçalves, à margem da assinatura do protocolo entre o Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e à Inovação (IAPMEI) e a Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP).

Pedro Gonçalves explicou que «é importante ter uma marca Portugal nos mercados internacionais», considerando que «dado o forte dinamismo das empresas portuguesas, é fundamental atuar em conjunto, criando uma unidade e uma marca comum».

Dois anos após a criação do programa «Portugal Sou Eu», com o objetivo de valorizar a produção nacional no mercado interno para a promoção da competitividade e do emprego nas empresas nacionais, em particular nas pequenas e médias empresas (PME), o programa é agora alargado para projetar a marca «Portugal» a nível internacional.

O IAPMEI e a AICEP assinaram o protocolo que permite à agência liderada por Miguel Frasquilho utilizar a marca e o logotípo, propriedade da primeira, nas suas ações de promoção externa.

Já o secretário de Estado Adjunto e da Economia, Leonardo Mathias, destacou que a nova marca, filha do «Portugal Sou Eu», «é um chamar de afetos», que pretende acelerar «o dinamismo das exportações portuguesas».

«Faltava uma peça que é fundamental que tem a ver com o dinamismo das nossas exportações. Associamo-nos a este protocolo que vai possibilitar a utilização do logotipo em feiras e eventos internacionais», referiu.

Em causa estão 457 ações internacionais planeadas para 2014 e 2015 em 41 países com destaque para a União Europeia, Brasil, PALOP, Colômbia, Rússia, China e Estados Unidos da América.

Neste momento, mais de 1.000 empresas estão inscritas no programa «Portugal Sou Eu», com mais de 2.000 produtos qualificados, o que representa um volume de negócios superior a 1,3 mil milhões de euros, segundo os dados fornecidos pelo Ministério da Economia.