O lucro do grupo Santander cresceu 22,2% no primeiro semestre deste ano para 2.756 milhões de euros, face a igual período do ano passado, suportado pelo aumento das receitas e uma menor dotação para provisões.

O crédito concedido pelo grupo espanhol caiu 1,1% para 706.899 milhões de euros no semestre em análise, face aos primeiros seis meses do ano passado, refere em comunicado enviado à Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Já os depósitos e os fundos de investimento atingiram os 737.500 milhões de euros, mais 4% que em igual período de 2013.

O grupo Santander, por sua vez, registou um lucro de 1.453 milhões de euros entre abril e junho, o valor mais alto dos últimos dois anos, que não inclui, entre outros montantes, as mais-valias líquidas geradas com a venda de 85% da Altamira (385 milhões de euros).

O resultado líquido do grupo Santander, no segundo trimestre do ano, foi alcançado num contexto de «incipiente recuperação e em que as taxas de juro estão muito baixas em moedas fundamentais para o grupo espanhol, como o euro, a libra e o dólar», segundo destaca o comunicado.

A redução de custos totalizou 9.753 milhões de euros, uma redução de 4% face à primeira metade do ano passado.

O rácio de capital situou-se no final de junho nos 12,1%, tendo-se mantido inalterado em relação ao trimestre precedente, enquanto o 'core capital' [que avalia a solvabilidade da instituição] manteve a sua «qualidade máxima» em 10,9%, face aos 10,6% que tinha no final do período anterior.