O britânico Lloyds Banking Group, liderado por António Horta Osório, anunciou esta terça-feira em comunicado que vai eliminar 1.400 postos de trabalho nas divisões de risco, empresas, operações e consumo do banco.

Esta redução de efetivos faz parte do corte de 15 mil colaboradores que Horta Osório anunciou em 2011, que integra o plano do banqueiro português para reforçar o balanço do grupo financeiro britânico.

Desde que foi alvo de um resgate por parte das autoridades inglesas, em 2008, num montante a rondar os 24 mil milhões de euros, o Lloyds já perdeu mais de 30 mil colaboradores e fechou as suas operações no estrangeiro para se focar exclusivamente no Reino Unido.

Já o Barclays estará a planear cortar centenas de postos de trabalho no banco de investimento, incluindo diretores e diretores-gerais, segundo avança hoje a agência Bloomberg, citando uma fonte conhecedora da matéria.

No final de 2012, o segundo maior banco britânico em termos de ativos contava com 24 mil funcionários na sua divisão de banca de investimento, noticia a Lusa.