A diretora-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, defendeu este domingo, em Sintra, a necessidade de ter uma «estrutura institucional» que preserve a estabilidade de preços, mantendo a independência dos bancos centrais.

Num discurso hoje em Sintra, na abertura do ECB Forum on Central Banking, organizado pelo Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde falou sobre a necessidade de os bancos centrais se manterem independentes e afirmou que, se os bancos centrais tivessem um objetivo de estabilidade financeira, provavelmente iriam falhar nos três pilares que garantem essa independência.

A antiga ministra das Finanças de França afirmou que a independência dos bancos centrais assenta na sua credibilidade e responsabilização, que dependem de três pilares: ter um mandato claro, um desempenho consistente e um consenso em relação ao objetivo.

Interrogando-se sobre como se comportariam os bancos centrais se tivessem um objetivo adicional de estabilidade financeira, Lagarde afirmou que,«francamente, iriam provavelmente falhar nos três campos».

Isto porque, argumentou, «os objetivos, os alvos e os instrumentos da estabilidade financeira ainda estão mal definidos», porque «o desempenho é difícil de medir» e porque a «estabilidade financeira é difícil de observar».

«Muitas vezes, é preciso uma crise para perceber quão instável se tornou o sistema financeiro. E nessa altura já é tarde de mais», disse Christine Lagarde, acrescentando que, ainda que seja consensual que é preciso estabilidade financeira, «o caminho para esse objetivo pode enfrentar conflitos e resistências».

O Banco Central Europeu tem como mandato garantir a estabilidade de preços, tendo fixado como objetivo de médio prazo uma taxa de inflação «abaixo mas próxima dos 2%».