O primeiro-ministro afirmou esta quinta-feira que o Governo encontrará uma forma simbólica de assinalar o fim do programa de resgate a Portugal a 17 de maio e vai reunir-se nesse dia para aprovar um documento de estratégia de médio prazo.

«O Governo não deixará no dia 17 de maio de encontrar uma forma simbólica apropriada para marcar formalmente o fim do Programa de Assistência Económica e Financeira. Como a Irlanda fez de resto, também nós teremos Conselho de Ministros extraordinário nesse dia para aprovar um documento de estratégia de médio prazo que será divulgado aos portugueses e a todos os parceiros europeus e todos os investidores internacionais», afirmou Pedro Passos Coelho, a meio de uma reunião alargada do executivo PSD/CDS-PP, no Palácio da Ajuda, num período de intervenções abertas à comunicação social.

O primeiro-ministro manifestou-se convicto de que «essa estratégia de médio e de longo prazo não corre o risco de ser confundida com nenhum ponto de polémica que possa perturbar as eleições para o Parlamento Europeu e a respetiva campanha eleitoral», que começa no dia 12 e termina a 23 de maio, antevéspera das eleições.