O ministro da Economia, António Pires de Lima, anunciou esta quinta-feira a criação de uma nova linha PME Crescimento, com uma dotação de dois mil milhões de euros e um prazo máximo de 10 anos.

«Um dos instrumentos que maior sucesso teve em termos de utilização foi precisamente a linha PME Crescimento que praticamente está ocupada a 100%, um ano depois de ter sido lançada. Tenho por isso o gosto de anunciar o lançamento de uma nova linha PME Crescimento já devidamente negociada e contratualizada com a banca comercial, com o montante de dois mil milhões de euros, igual ao de 2013», afirmou o ministro durante uma intervenção na apresentação dos prémios PME Excelência 2013 em Santa Maria da Feira.

A linha deste ano vai conter «quatro subdivisões», segundo o ministro: «Um eixo ligado às micro e pequenas empresas, que vale 500 milhões de euros, uma linha geral vocacionada para as necessidades de tesouraria, de fundo de maneio, também de 500 milhões de euros, uma linha geral vocacionada para o investimento igualmente de 500 milhões de euros e, finalmente, uma linha orientada para a dinamização das exportações também de 500 milhões de euros».

Segundo Pires de Lima, «o objetivo desta linha é dar seguimento àquilo que foi o sucesso de utilização da linha PME Crescimento de 2013».

De acordo com o secretário de Estado da Inovação, Investimento e Competitividade, Pedro Gonçalves, esta linha «abrange duas áreas que são fundamentais: os ciclos longos de produção, [porque] muitas das empresas ao longo deste período de ajustamento sentiam a dificuldade de financiar a longo prazo os seus ciclos de produção mais longos» e o universo das empresas exportadoras.

A linha PME Crescimento 2014 vai entrar em funcionamento «no período de esgotamento» da anterior, que Pedro Gonçalves estima que deverá acontecer entre o final de fevereiro e o começo de março.