O Fundo Monetário Internacional (FMI) anunciou esta quinta-feira ter disponibilizado um plano de resgate à Ucrânia até 13,1 mil milhões de euros para impedir que a crise com a Rússia leve o país à falência.

O fundo de assistência financeira ¿ cujo valor oscilará entre os 10,8 mil milhões e os 13,1 mil milhões de euros ¿ vai fazer parte de um pacote mais amplo, lançado por outros governos e agências, avançou o chefe da missão ucraniana do FMI, Nikolai Georgiyev.

Numa conferência de imprensa realizada hoje de manhã, o responsável do FMI acrescentou que, no total, o plano de ajuda deverá atingir os 19,6 mil milhões de euros, a atribuir nos próximos dois anos.

A Ucrânia está a viver uma das maiores crises políticas e militares desde o final da Guerra Fria, na sequência de um referendo realizado na península da Crimeia e cujos resultados levaram a Rússia a anexar o território.

Na quarta-feira, o Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, garantiu que a comunidade internacional condena a violação da lei internacional por parte da Rússia, ao anexar a Crimeia e alertou Moscovo que se não baixar o nível de tensão na zona, terá que se defrontar com as consequências.