O Fisco vai avançar ainda no primeiro trimestre deste ano com uma vaga de inspeções ao setor do arrendamento, que incidirá tanto no mercado das casas para turistas, de curta duração, como também no das habitações permanentes.

Segundo explicou ao «Jornal de Negócios» fonte do Ministério das Finanças, a Administração Tributária tem vindo já a recolher informações «em anúncios publicados em jornais e na Internet, junto de imobiliárias e em contratos de fornecimento dos fornecedores de água ou luz».

Trata-se agora de passar das palavras aos atos. Desde logo através de inspetores que, à paisana, irão para o terreno averiguar que tipo de propostas de arrendamento são feitas aos potenciais interessados, salienta o mesmo jornal. Os inspetores querem saber se os contratos são legalizados ou se fogem ao Fisco.