As restrições de despesa impostas aos serviços públicos pelo Ministério das Finanças para 2014 poderão levar a um corte de 17% no orçamento da Autoridade Tributária e Aduaneira (AT), avança o «Jornal de Negócios». A meta foi abordada numa reunião entre a ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, e altos dirigentes da AT, no início de agosto.

O Sindicato dos Trabalhadores dos Impostos teme que, se o corte se concretizar, haja repercussões no quadro de pessoal, uma vez que, segundo o mesmo jornal, mais de 70% do orçamento da AT se destina ao pagamento de vencimentos, e também nas condições de trabalho nos serviços.

Os alertas do sindicato sobre as dificuldades de funcionamento nas repartições de finanças e noutros serviços do Fisco chegam há meses e Paulo Ralha, presidente do sindicato, avisa que pode estar também em causa o ritmo de arrecadação de impostos.