As famílias portuguesas estão a poupar cada vez mais. De acordo com dados publicados esta segunda-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), no primeiro semestre do ano, a taxa de poupança aumentou dos 13,4 para os 13,6% do rendimento disponível.

Um aumento que só foi possível graças a uma redução de 0,5% no consumo, que «mais que compensou a redução do rendimento disponível».

É que, de acordo com o INE, o rendimento disponível das famílias caiu 0,3% no 2º trimestre de 2013.

A diminuição do rendimento disponível foi determinada sobretudo pela evolução do imposto sobre o rendimento pago pelas famílias, que aumentou 8,1% no ano terminado no 2º trimestre de 2013, efeito que foi parcialmente compensado pelo aumento das prestações sociais recebidas (taxa de variação de 1,1% no 2º trimestre de 2013).

A diminuição do rendimento disponível foi ainda influenciada pelo comportamento das remunerações recebidas pelas famílias, que diminuíram 0,3% no ano terminado no 2º trimestre de 2013, que compara com uma diminuição de 0,2% no ano terminado no trimestre anterior.