O Tesouro dos EUA avisou esta quinta-feira que um eventual incumprimento da dívida, devido ao impasse orçamental que deixou o país a meio gás, terá consequências «catastróficas», podendo mesmo gerar uma crise pior que a do subprime, que estalou em 2008 e arrastou os mercados financeiros de todo o mundo.

Em causa está o facto de o congresso dos Estados Unidos não elevar o limite da dívida. Num relatório oficial, o Departamento do Tesouro do país escreve que «o dólar dos EUA e os títulos do Tesouro estão no centro do sistema financeiro internacional» e sublinha que «um incumprimento seria inédito e tem o potencial de ser catastrófico: os mercados de crédito poderiam congelar, o valor do dólar poderia cair, as taxas de juros nos Estados Unidos poderiam subir rapidamente».

Mas o relatório vai mais longe e afirma mesmo que uma crise despoletada pelo impasse político poderia resultar numa nova crise financeira e recessiva, semelhante ou até mais grave que aquela gerada em 2008, e que ficou conhecida pela crise do subprime.

Adiar um aumento do teto da dívida «para o último minuto é exatamente o que a nossa economia não precisa», refere o secretário do Tesouro, Jacob J. Lew, citado no relatório.