Vários parques e monumentos nos Estados Unidos, como o Grand Canyon ou a Estátua da Liberdade, vão reabrir neste sábado, apesar da paralisação parcial da Adminstração norte-americana, depois de terem sido alcançados acordos para o seu financiamento temporário.

O serviço dos parques nacionais anunciou na noite de sexta-feira acordos com os Estados de Nova Iorque, Arizona, Colorado e Utah para a reabertura dos seus locais turísticos que estão encerrados desde o início de outubro devido à paralisação do orçamento federal.

Estes acordos permitem, por exemplo, a abertura da Estátua da Liberdade durante seis dias, a partir de hoje e até 17 de outubro, com uma dotação de cerca de 370 mil dólares norte-americanos (273 mil euros) do Estado de Nova Iorque.

O Presidente dos EUA, Barack Obama, acordou na sexta-feira com o líder dos republicanos na Câmara dos Representantes, John Boehner, continuar a dialogar, mas disse não aceitar a elevação do teto da dívida só por seis semanas.

O porta-voz da Casa Branca, Jay Carney, indicou que Obama quer um acordo «limpo», que não esteja condicionado à desistência da reforma da Saúde, legislada desde 2010, e a cortes em programas sociais para reduzir o défice.

Carney pediu aos republicanos para «não usarem a [ameaça] da suspensão de pagamentos como arma nas negociações» nem proporem um aumento do limite do endividamento de apenas seis semanas.