O vice-presidente do Banco Central Europeu (BCE), Vitor Constâncio, afirmou esta segunda-feira que «é demasiado cedo para declarar que a crise foi superada» e considerou que a zona euro enfrenta «grandes riscos».

Numa conferência sobre a integração e a estabilidade financeira europeia, Constâncio sublinhou que «a situação foi melhorada e estabilizada».

«É uma conquista importante, mas não é o final de uma corrida e é demasiado cedo para declarar que a crise foi superada», segundo o vice-presidente do BCE.

Constâncio disse que a integração do mercado monetário melhora lentamente, especialmente no mercado segurador, e que os indicadores quantitativos confirmam uma estabilização nos mercados de obrigações e uma melhoria na integração dos mercados de ações.

Comparando com a situação em que estávamos há dois anos, os progressos são encorajadores, referiu Constâncio, adiantando que, no entanto, não significa que estejamos fora da zona de perigo.

O vice-presidente do BCE advertiu que ainda existe uma grande dispersão nos custos de endividamento para as empresas não financeiras nos países da zona euro, pelo que que se mantém uma significativa fragmentação financeira nos países da moeda única.

«Isto é uma preocupação para a recuperação e também para a política monetária e de prudência macroeconómica», disse Constâncio.