O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, considerou esta sexta-feira, em Davos, que a melhoria registada desde julho de 2012 nos mercados financeiros foi «espetacular».

Draghi afirmou, no Fórum Económico Mundial, que «a melhoria foi espetacular» desde julho de 2012, quando, numa fase mais grave da crise, disse que o BCE faria tudo para preservar o euro, declarações que tranquilizaram os mercados.

No entanto, apesar da acalmia dos mercados financeiros e da economia ter tendência para melhorar, a situação não é rosa, advertiu.

«Vemos que o início da recuperação económica tem sido fraco e frágil», apontou, acrescentando que o desemprego continua elevado na zona euro (superior a 12%) e que alguns países ainda têm reformas a fazer.

«O trabalho não terminou» nos países da periferia da zona euro, assinalou.

Draghi destacou ainda que os países que foram resgatados são os que mais reformas fizeram no mercado laboral e na produção.

O presidente do BCE afirmou que o crescimento não é sustentável a longo prazo sem reformas estruturais e afastou o cenário de deflação na zona euro.