As dívidas de clientes ao grupo Águas de Portugal, TAP e Sagestamo, entidade que arrenda imóveis ao Estado, atingiam em 2013 cerca de 718 milhões de euros, de acordo com o relatório de contas da Parpública.

O relatório da holding que gere as participações estatais, publicado na quarta-feira, indica que, dos 420 milhões de euros de dívidas ao grupo Águas de Portugal (AdP), 383,2 milhões estão relacionados com dívidas de municípios.

Este montante é inferior ao registado em 2012 (446,7 milhões de euros, dos quais 441,8 milhões de dívidas municipais) devido aos acordos de pagamento efetuados com as autarquias.

No caso da TAP, a dívida de 228,8 milhões de euros (257, milhões em 2013) é relativa sobretudo a privados: as agências de viagens devem 91,7 milhões de euros à transportadora aérea, mais 11,1 milhões de euros do que em 2012, enquanto as dívidas das companhias de aviação desceram para 29,7 milhões de euros (41,8 milhões em 2012).

No caso do grupo Sagestamo, os valores por receber aumentaram para 68,5 milhões de euros, mais 6,5 milhões do que no anterior, «respeitando essencialmente a arrendamentos a entidades do Estado português».

O saldo de clientes de cobrança duvidosa advém essencialmente do grupo TAP, num total de 36,7 milhões de euros (36,8 milhões de euros em 2012) e do grupo AdP com o montante global de 18,4 milhões de euros (18,2 milhões de euros em 2012), de acordo com os dados citados pela Lusa.