O Banco de Portugal considera que os números da dívida pública portuguesa e a posição devedora da economia face ao resto do mundo «não deixam margem para complacência» e pedem continuidade no processo de ajustamento.

BdP pede compromisso de longo prazo e efetiva reforma do Estado

Na análise sobre a economia portuguesa no relatório anual do Conselho de Administração divulgado hoje, o Banco de Portugal (BdP) afirma que, «num quadro em que a dívida pública ascende atualmente a 129% do PIB [Produto Interno Bruto] e em que a posição devedora (líquida) da economia portuguesa face ao resto do mundo é de 119% do PIB, não existe margem para complacência na prossecução do processo de ajustamento».

A conclusão da instituição «é reforçada pelos riscos», de ordem interna e externa, que a «economia portuguesa ainda enfrenta».

Para o Banco de Portugal, é expectável que o «escrutínio dos mercados financeiros seja particularmente sensível a eventuais choques económicos adversos ou à condução de políticas erráticas».

O Banco de Portugal já divulgou, na semana passada, um valor mais elevado da dívida pública portuguesa, fixando-a nos 132,4% do PIB no final do primeiro trimestre, acima dos 129% registados no final de 2013.