A taxa de desemprego em Portugal manteve-se nos 15,3% em janeiro face a dezembro de 2013, interrompendo dez meses de quedas, embora tenha recuado 2,3 pontos percentuais face ao período homólogo, revela esta sexta-feira o Eurostat.

Nos dados hoje atualizados sobre o desemprego na Europa, o gabinete oficial de estatísticas da União Europeia revê em baixa as estimativas de há um mês relativamente a Portugal, tendo a taxa caído em dezembro de 2013 para os 15,3% (e não 15,4%, o valor antes avançado), pelo que em janeiro se manteve estável, após 10 meses consecutivos a cair.

Já face a janeiro de 2013, os 15,3% representam o segundo maior recuo do desemprego na União Europeia.

Os números do Eurostat revelam que a taxa de desemprego se manteve estável tanto na zona euro, nos 12,0% (o mesmo valor desde outubro de 2013, e idêntico também na comparação homóloga, face ao ano anterior), como no conjunto da União Europeia, nos 10,8% (também o mesmo valor desde outubro do ano passado, e duas décimas abaixo do valor de há um ano, quando era de 11,0%).

Apesar de ter a quinta taxa de desemprego mais elevada entre os 28 Estados-membros, Portugal apresenta a segunda maior queda em termos homólogos (de 17,6% em janeiro de 2013 para 15,3% em janeiro de 2014), apenas superada por aquela verificada na Letónia (de 14,3 para 11,5% entre os últimos trimestres de 2012 e 2013).

Entre os 28, as taxas de desemprego mais elevadas registam-se na Grécia (28%, dados ainda relativos a novembro de 2013) e Espanha (25,8%), e as mais baixas na Áustria (4,9%) e na Alemanha (5,0%).

Já em termos de desemprego jovem (pessoas com menos de 25 anos), a taxa de desemprego está nos 34,4%.