O indicador de clima económico em Portugal voltou a subir em julho, mantendo o perfil crescente iniciado em janeiro de 2013 e fixando o máximo dos últimos seis anos, divulgou esta quarta-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE).

O indicador de confiança dos consumidores manteve igualmente a recuperação, registando o valor mais elevado desde janeiro de 2007.

De acordo com o INE, o indicador de clima económico (calculado através de inquéritos a empresas de vários setores de atividade) recuperou dos 0,3 pontos em junho para os 0,5 pontos em julho, «mantendo o perfil crescente iniciado em janeiro de 2013 e fixando o máximo dos últimos seis anos».

O indicador de confiança dos consumidores (calculado através de inquéritos a particulares), por sua vez, melhorou em julho alcançando os -48,9 pontos (dos -50,0 pontos observados em junho) «prolongando o acentuado movimento ascendente observado desde o início de 2013 e registando o valor mais elevado desde janeiro de 2007».

Segundo o INE, a recuperação do indicador de confiança dos consumidores em julho «deveu-se ao contributo positivo de todas as componentes, sobretudo das perspetivas sobre a evolução do desemprego, que registaram o mínimo desde maio de 2001».

A Comissão Europeia divulgou hoje também que o indicador de sentimento económico para Portugal melhorou em julho, depois de seis meses consecutivos a subir, mantendo-se abaixo da média dos países da União Europeia (UE).