Os carros de serviço vão ter a sua tributação agravada no ano que vem. Na proposta de Orçamento do Estado para o ano que vem (OE 2014), as taxas de tributação autónoma, em sede de IRC, aplicadas às viaturas atribuídas pelas empresas aos seus trabalhadores aumentam.

Até agora, as taxas variavam entre 10 e 20%, consoante o valor de aquisição, aumentam para 15% em automóveis com um valor de mercado inferior a 20 mil euros, para 27,5% quando o custo de aquisição se situa entre os 20 mil e os 35 mil euros e para 35% para carros que valem mais de 35 mil euros.

As empresas com prejuízos têm um «desconto» de 10 pontos percentuais na taxa.

O objetivo é combater a evasão fiscal. Atualmente muitas empresas atribuem atualmente carros de serviço a alguns funcionários, como forma de remuneração, mas isso escapa ao radar do Fisco.

O Governo quer «empurrar» a tributação para os trabalhadores porque, quando os carros são usados para fins pessoais, a lei já prevê a sua tributação em sede de IRS, caso haja acordo escrito entre o funcionário e o empregador. Com o aumento das taxas, o Governo quer incentivar as empresas a inscrever os carros nos contratos.