O Banco Espirito Santo (BES) afirmou esta segunda-feira ter apresentado recurso contra duas multas, no total de 1,1 milhões de euros, impostas pelo Governo espanhol, explicando que se referem a «situações concretas da operação de dois clientes».

«Neste caso as sanções impostas ao banco referem-se a duas situações concretas da operação de dois clientes», referiu à Lusa fonte oficial do BES em Espanha.

«O Banco procedeu com a apresentação do correspondente recurso contra as mesmas», sublinha a fonte, reafirmando que o banco «aplica as melhores práticas e cumpre rigorosamente com a normativa em matéria de prevenção de branqueamento de capitais».

O BES reagia à publicação hoje, no Boletim Oficial de Estado (BOE) espanhol de duas multas, no total de 1,1 milhões de euros, aplicadas no ano passado ao banco por infrações «muito graves» da normativa sobre a prevenção de branqueamento de capitais.

As multas, publicadas hoje no BOE, correspondem a uma resolução aprovada pela Comissão de Prevenção do Branqueamento de Capitais e Infrações Monetária.

Trata-se de duas multas, no valor de 150.000 euros e de 960.000 euros, pelo «incumprimento do dever de comunicação da prevenção do branqueamento de capitais e de financiamento de terrorismo».

As multas podem ser passivas de um recurso «potestativo» que tem que ser apresentado num mês contado a partir de terça-feira, um dia depois da publicação das sanções no BOE.

A publicação refere que as multas foram propostas pelo ministro da Economia e Competitividade e aprovadas na reunião do Conselho de Ministros de 3 de maio de 2013.

A informação está assinada por Raquel Cabeza Pérez, secretária da Comissão de Prevenção do Branqueamento de Capitais e Infrações Monetária.