O governador do Banco de Portugal (BdP) quer que o Banco Espírito Santo (BES) esclareça o mais rapidamente possível a situação que vive a sua filial em Angola, ainda que não preveja um «impacto material» nas contas do banco português.

http://www.tvi24.iol.pt/economia---economia/carlos-costa-bes-ges-aumento-de-capital/1564955-6377.htmlBES: «É muito provável» aumento de capital só com recursos privados

«O Banco de Portugal espera que a situação desta filial [BES Angola] seja esclarecida rapidamente, mas que não tenha impacto material no BES», afirmou hoje Carlos Costa, no Parlamento.

«Temos que eliminar esse ponto de incerteza», salientou, reforçando que o BdP «não antecipa um impacto grande nos rácios de capital do BES devido ao BES Angola» e frisando que 'a fatia de leão' da carteira de crédito do banco angolano que o BES controla está garantida pelo Estado angolano.

«A exposição a Angola é uma exposição que está coberta por uma garantia sólida. O BES Angola está solvente», frisou.

Carlos Costa disse que, quando for cabalmente esclarecida a questão do BES Angola, «isso significará que se afastará um risco do horizonte».