O Banif vai lançar uma oferta pública de ações até 138,5 milhões de euros para completar o aumento de capital acordado com o Estado, disse esta segunda-feira o presidente do banco aos jornalistas, acrescentando que continuam as negociações com a Guiné Equatorial.

«O Conselho de Administração deliberou hoje completar o aumento de capital [acordado com o Estado] com uma oferta pública», disse hoje o presidente executivo do banco, Jorge Tomé, num encontro com jornalistas em Lisboa, adiantando que o Banif fará rondas internacionais com investidores para garantir o sucesso da operação, que prevê emitir até 138,5 ME em ações e, a ser concretizada na totalidade, tornará o Estado acionista minoritário do banco.

O responsável disse ainda que, apesar desta decisão, o banco continua em negociações com a Guiné Equatorial para a eventual entrada de uma empresa do pais (de gás ou de petróleo) ou do fundo soberano da Guiné Equatorial no capital do banco. Segundo o memorando de entendimento inicialmente acordado, a Guiné Equatorial poderia injetar cerca de 133 milhões de euros no Banif, equivalente a uma participação de 11 por cento.

Jorge Tomé afirmou que a administração tomou a decisão de avançar com esta oferta pública «considerando as condições do mercado» que melhoraram nas últimas semanas, mas adiantou que não está posta de parte a possibilidade de a Guiné Equatorial subscrever ações nesta operação, que serão colocadas à venda a 0,01 euros (1 cêntimo).