O Banco de Portugal ameaça reduzir entre 15% e 60% o valor dos imóveis em carteira nos bancos, caso estes não procedam a uma reavaliação do valor desses imóveis de acordo com as regras definidas pelo banco central.

Uma circular de meados de setembro, a que a Lusa teve acesso, revela que a entidade liderada por Carlos Costa se mostra preocupada com a exposição dos bancos ao setor imobiliário. O Banco de Portugal diz que, depois das inspeções realizadas ao crédito à construção e atividades imobiliárias, encontrou situações em que não é «suficientemente prudente» o valor a que são avaliados os imóveis retomados por falta de pagamento do cliente.

Assim, o Banco de Portugal obriga agora os bancos a reavaliarem todos os imóveis adquiridos em dação em pagamento ou recuperação de crédito cuja data da última avaliação seja igual ou superior a um ano, com referência a 31 de julho deste ano.