Atualização às 17:50

O vice-primeiro-ministro vai apresentar esta tarde o resultado da oitava e nona avaliações da troika ao programa de ajustamento português. No entanto, ao que apurou a TVI, a avaliação da troika é positiva e o défice ficará nos 4%, não havendo flexibilização, conforme tem vindo a ser defendido por Paulo Portas.

Na conferência de imprensa, que terá lugar na Presidência do Conselho de Ministros, deverão estar também presentes a ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, e o secretário de Estado adjunto do primeiro-ministro, Carlos Moedas.

Paulo Portas vai também anunciar quais são as medidas de austeridade que foram acordadas com a missão técnica do Fundo Monetário Internacional (FMI), Banco Central Europeu (BCE) e Comissão Europeia (CE) na sequência dessas avaliações.

A conferência de imprensa está agendada para as 18 horas.

O resultado das avaliações regulares da troika foi precisamente o tema escolhido pelo Governo para o debate quinzenal de amanhã no Parlamento, onde estará o primeiro-ministro.

Recorde-se que a oitava e nona avaliações do programa de assistência económica e financeira (PAEF) arrancaram no passado dia 16 de setembro. Era nesta fase que o Governo tinha de discriminar as medidas para cortar 4,7 mil milhões de euros na despesa pública.

O «Expresso» avança que destas avaliações saíram medidas «muito duras» de austeridade.

Um dos temas que terá sido alvo de discussão foi a meta do défice para 2014, que o Governo português queria ver flexibilizada de 4 para 4,5%, e que a troika terá resistido a rever.

A reforma do Estado terá sido outro dos pontos quentes desta visita da troika, que foi o tema que atrasou a última avaliação e uma das medidas, a requalificação da função pública, já foi chumbada pelo Tribunal Constitucional.