A actividade económica em Portugal avançou em Outubro, fixando o valor mais alto em dois anos e meio, revelou esta quarta-feira o Instituto Nacional de Estatística (INE).

De acordo com a Síntese Económica de Conjuntura do Instituto Nacional de Estatística (INE), «o indicador de clima económico prolongou em novembro o perfil ascendente observado desde o início do ano, após ter registado o mínimo da série em dezembro de 2012, atingindo o valor mais elevado desde março de 2011».

A atividade económica acelerou em outubro, atingindo o máximo desde abril de 2011, tal como o indicador do consumo privado, que contou com o «contributo positivo mais expressivo de ambas as componentes, consumo corrente e consumo duradouro».

Em relação à informação relativa aos indicadores de curto prazo, registou-se «um crescimento da produção industrial e uma diminuição da atividade económica nos serviços e na construção e obras públicas», em termos homólogos.

Sobre o comércio internacional de bens, em termos nominais, as exportações e importações registaram em outubro, face a igual período de 2012, variações de 4,6% e 1,2%. Estes dados representam uma desaceleração face a setembro.

O indicador FBCF (formação bruta de capital fixo) recuou «de forma ligeiramente menos acentuada em resultado da evolução da componente de máquinas e equipamentos», refere o INE.