O analista económico alemão Wolfgang Munchau, que se encontra em Lisboa, diz que, se fosse político em Portugal, adotaria uma estratégia de reafirmar o compromisso de se manter na Zona Euro, mas não excluiria a possibilidade de sair.

O também colunista do «Financial Times» esteve presente no Liceu Pedro Nunes, onde participa como orador no encontro Presente no Futuro, organizado pela Fundação Francisco Manuel dos Santos.

Na sua opinião «os Governos do Sul da Europa subestimam o seu poder negocial» e deitam-no fora «ao dizer, aconteça o que acontecer, nunca sairemos da Zona Euro, até porque não se pode dizer isso. Neste momento, seria uma estupidez sair da Zona Euro, mas, se o ajustamento económico, que não tem prosseguido bem, continuar durante mais dez anos, pode não haver outra alternativa a não ser sair da Zona Euro», defendeu.

Para o editor do prestigiado jornal britânico, a situação da Itália vai ser mais complicada, por «uma questão de escala» e pelo possível «efeito de contágio». «Não subestimem o potencial de um fracasso de Portugal. Se Portugal sair da zona euro, levantará questões em Itália e Espanha imediatamente», alertou.

A Alemanha vai a eleições legislativas no dia 22 de setembro, mas Munchau não antecipa nenhuma «mudança política fundamental», independentemente do resultado.

«Há posições legais e políticas que são partilhadas em todo o país e não apenas pela [chanceler alemã Angela] Merkel. Ela não tem assim opiniões tão fortes sobre as coisas, nem lidera a opinião conservadora, é muito mais uma gestora de processos», explicoudescreveu, acrescentando: «Se estiverem numa sala com ela vão achá-la uma pessoa muito prática, mas ela tem os seus limites».