A Portucel anunciou esta segunda-feira que vai investir 120 milhões de euros numa linha de produção de papel 'tissue' até 2017, que será realizado depois de obter uma decisão favorável da AICEP sobre a candidatura aos incentivos fiscais.

O grupo Portucel "aprovou, obtida que seja uma decisão favorável sobre a candidatura aos incentivos financeiros e fiscais a apresentar à AICEP [Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal], o investimento numa linha de produção de papel 'tissue' e respetiva transformação em produto final, com uma capacidade nominal de 70 mil toneladas por ano, num valor estimado de cerca de 120 milhões de euros", refere a empresa em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

"Com este projeto, o grupo passará a dispor de uma capacidade total de 130.000 toneladas/ano neste setor", acrescenta.

Este investimento resulta da aposta estratégica do grupo em diversificar a sua atividade a entrar no negócio do 'tissue'.

"O modelo de negócio que o grupo está a desenvolver baseia-se numa estratégia de integração direta de pasta na produção de 'tissue', pelo que a localização deste investimento será no complexo fabril de Cacia", refere.

"Verificando-se as condições necessárias para a realização deste investimento, a Portucel prevê a possibilidade de iniciar a sua operação ainda durante o primeiro semestre de 2017", conclui.

Num outro comunicado, o grupo refere que "concluiu os trabalhos técnicos preparatórios que sustentam a decisão de escolher o site de Cacia para acolher o seu previsto investimento".

Entretanto, a 13 de outubro, a Portucel vai inaugurar os dois mais recentes investimentos levados a cabo pelo grupo em Cacia e em Vila Velha do Ródão, no valor global de 95,3 milhões de euros.

A empresa vai inaugurar na próxima semana uma expansão do complexo industrial de Cacia na área de produção de pasta de papel, projeto que resulta de um investimento de 56,3 milhões de euros e que vai permitir aumentar em 30 milhões de euros anuais as exportações do grupo para mais 120 países.

"Este investimento induz um aumento de 20% da capacidade produtiva desta unidade fabril de 294 para 353 mil toneladas/ano de pasta de papel, sendo de salientar que as soluções tecnológicas agora incorporadas são as mais evoluídas sob o ponto de vista industrial e ambiental".

Esta expansão possibilita o aumento da produção de energia renovável em cerca de 9% para um total de 336,7 megawatts por ano.

Além disso, também a 13 de outubro, a Portucel vai inaugurar a duplicação da capacidade de produção em Vila Velha do Ródão na AMS, na empresa que foi comprada pelo no grupo no início deste ano, um investimento de 39 milhões de euros.