A Comissão Europeia, os Estados-membros e a indústria vão investir cerca de 22,5 mil milhões de euros em inovação e investigação durante os próximos sete anos, anunciou o executivo comunitário.

O investimento total ascende a 22.579 milhões de euros, dos quais 17.515 milhões de euros (6.440 milhões do programa europeu Horizonte 2020, 1.200 milhões dos Estados e 9.875 milhões do setor industrial europeu) serão «canalizados para cinco parcerias público-privadas na área dos medicamentos inovadores, da aeronáutica, das bioindústrias, das pilhas de combustível e hidrogénio e da eletrónica», segundo um comunicado da Comissão Europeia citado pela Lusa.

As cinco parcerias público-privadas visam desenvolver a próxima geração de vacinas, medicamentos e tratamentos; aumentar a utilização de tecnologias limpas e eficientes nos transportes, na indústria e na energia; conceber aviões mais ecológicos e mais silenciosos que permitam reduzir significativamente as emissões de CO2; utilizar recursos naturais renováveis e tecnologias inovadoras para fabricar produtos mais ecológicos; e aumentar as capacidades de fabrico de eletrónica da Europa.

O pacote de investimentos anunciado hoje inclui também quatro parcerias entre a Comissão Europeia e os Estados-membros da União Europeia (UE), no valor total de 3.464 milhões de euros (1.445 milhões de euros do programa Horizonte 2020 e 2.019 milhões dos países).

Em causa estão, explica Bruxelas, novos tratamentos contra as doenças relacionadas com a pobreza; tecnologias de medição para a competitividade industrial; apoio para as pequenas e médias empresas (PME) de alta tecnologia; bem como soluções para que os idosos e os deficientes vivam em segurança nas suas casas.

Por último, é também proposto o alargamento de uma iniciativa que visa reunir os investimentos em investigação e inovação no domínio da gestão do tráfego aéreo, em apoio do Céu Único Europeu, através da mobilização de 1.600 milhões de euros (600 milhões do Horizonte 2020 e 1.000 milhões da Eurocontrol e de outros membros).

O presidente da Comissão Europeia, José Manuel Durão Barroso, afirma, no comunicado, que este pacote de investimentos é uma «demonstração perfeita de como o orçamento da UE está apostado no crescimento», defendendo a União «deve continuar a liderar em setores tecnológicos estratégicos a nível mundial que oferecem empregos de alta qualidade».