A emissão de vistos gold (Autorizações de Residência para Investimento) voltou a cair em Julho, com apenas dez pedidos autorizados. Segundo o jornal Público, em termos acumulados, entre Janeiro e Julho deste ano o valor do investimento ligado à emissão dos vistos gold caiu 70% face a idêntico período do ano passado, passando de 817 milhões de euros para cerca de 247 milhões.

A queda registada em Julho acontece no mês em que o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) suspendeu o processo de emissões durante cerca de duas semanas, por falta de enquadramento legal entre o anterior e o novo regime legal, aprovado este ano na Assembleia da República.

Em valor, o investimento realizado em Julho ficou-se por apenas 5,6 milhões de euros. A comparação do investimento realizado com o mês do ano passado revela uma forte queda, uma vez que esse mês o capital aplicado ascendeu a 92 milhões de euros.

No total, desde finais de 2012 até Julho deste ano, foram emitidos 2430 vistos gold, dos quais 2299 por investimento imobiliário, 128 por transferência de capital, e apenas três por criação de emprego (no mínimo de 10 trabalhadores). O investimento total realizado ao abrigo deste programa ascende a cerca de 1475 milhões de euros.

Os chineses lideram destacadamente os pedidos, com 1957 autorizações. Seguem-se o Brasil (87), a Rússia (79), a África do Sul (60) e o Líbano (36).

A tendência de queda verifica-se desde o final do ano passado, após o escândalo de corrupção que levou à prisão de altos responsáveis da administração pública e à demissão do ministro da Administração interna, Miguel Macedo.