A China continua a ser o maior consumidor mundial de carvão, mas foi também o que mais investiu em energias renováveis em 2014, superando a Europa e os Estados Unidos, indica um relatório divulgado esta quinta-feira na imprensa oficial.

O investimento chinês em energias hídrica, solar e eólica cresceu 33,9% em 2014, para 83.300 milhões de dólares (74.259 milhões de euros), mais do que os 57.500 milhões de dólares (51.259 milhões de euros) contabilizados na Europa e dos 38.300 milhões de dólares (34.143 milhões de euros) dos Estados Unidos, assinala a Renewable Energy Policy Network for the 21st Century, patrocinada pela ONU.

No seu último relatório anual, aquela organização salienta que, pela primeira vez em quatro décadas, o crescimento económico mundial (3%) não foi acompanhado por idêntico aumento nas emissões de dióxido de carbono.