As decisões e a gestão da troika no âmbito dos programas de ajustamento de Portugal, Grécia, Chipre e Irlanda vão ser alvo de inquérito no Parlamento Europeu (PE), avança o Dinheiro Vivo.

Os dirigentes de duas das instituições que comandam as missões externas - Mario Draghi, do Banco Central Europeu, e Olli Rehn, da Comissão Europeia, já prometeram cooperar com os deputados na referida investigação.

O relatório preliminar sobre o tema será divulgado a 17 de dezembro.

O documento a apresentar pela comissão de assuntos económicos do PE, da autoria do austríaco Othmar Karas (Partido Popular Europeu) e do francês Liem Hoang Ngoc (Socialistas e Democratas), defende que o «modelo troika» deve dar lugar a um sistema no qual a Comissão Europeia «assuma uma posição central no mecanismo juntamente com os países visados pelo programa».