As autoridades norte-americanas estão a investigar a agência de notação financeira Moody's por alegadamente ter sobreavaliado obrigações hipotecárias de alto risco antes da crise de 2008, divulgou no domingo o Wall Street Journal.

Citando fontes próximas ao processo, o jornal norte-americano afirma que oficiais do Departamento de Justiça encontraram-se com vários antigos executivos da Moody's, sem precisar se as investigações avançam para uma ação judicial.

As autoridades norte-americanas estão a investigar se a agência financeira alterou as regras para a atribuição de ratings a créditos hipotecários para ganhar clientes entre 2004 e 2007, reporta o WSJ.

A atribuição de notas positivas a créditos hipotecários de alto risco foram uma das principais causas do colapso financeiro em 2008, já que os investidores confiaram nas atribuições das agências para avaliar eventuais riscos.
Se as suspeitas na investigação se confirmarem, a Moody's pode tornar-se a segunda das maiores agências de rating norte-americanas na mira da Justiça dos Estados Unidos, depois da Standard & Poor's.

Segundo fontes citadas pela agência de notícias AFP, a S&P e as autoridades norte-americanas devem avançar em breve com o acordo que implica o pagamento, pela agência de notação financeira, de uma multa de 1.370 milhões de dólares (cerca de 1.211 milhões de euros), para encerrar o caso, que também está relacionado com a sobreavaliação de créditos hipotecários antes de 2008.