O ministro grego das Finanças, Yanis Varoufakis, defendeu esta sexta-feira que Atenas fez tudo o que podia para acomodar as “estranhas exigências” feitas pelos credores.

Em entrevista à rádio irlandesa RTE, Varoufakis acrescentou que o país está determinado em continuar a fazer parte da zona euro, mas não vai aceitar qualquer solução para a crise da dívida se a considerar inviável.

A reunião do Eurogrupo desta quinta-feira terminou sem acordo. Esta madrugada a  chanceler da Alemanha, Angela Merkel, afirmou que a próxima reunião dos ministros das Finanças da zona do euro, no sábado,  será “decisiva” para alcançar um acordo sobre a dívida grega.

A reunião do Eurogrupo, no sábado,  é a quarta em menos de uma semana e exclusivamente dedicada à Grécia.

O Nobel da Economia Paul Krugman afirmou, esta quinta-feira, que se a Grécia sair do euro será porque os credores, pelo menos o FMI, pretendem que assim seja, criticando a postura e as políticas impostas a Atenas.