O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, manteve esta terça-feira uma conversa telefónica de 15 minutos com o presidente da Comissão europeia, Jean-Claude Juncker, para preparar a reunião extraordinária do Eurogrupo prevista para quarta-feira em Bruxelas.

Segundo fontes oficiais, os dois responsáveis políticos não chegaram a qualquer acordo mas assinalaram que o objetivo do contacto consiste em abrir vias de comunicação entre Atenas e Bruxelas.

O diário helénico Naftemporiki indica na sua edição de hoje que apesar de Atenas e Bruxelas se manterem firmes nas suas posições, a iniciativa do primeiro-ministro confirma que o «acordo de transição até final de agosto já está sobre a mesa».

O Governo grego anunciou que vai comparecer na reunião de quarta-feira do Eurogrupo – que reúne os ministros das Finanças da zona euro – com «linhas vermelhas» muito definidas e não exclui prorrogar até setembro o seu acordo de transição.

Fontes do ministério das Finanças citadas pela agência noticiosa Efe precisaram que as «linhas vermelhas» se relacionam com a insistência num superavit primário exagerado, ou a impossibilidade de adotar medidas para enfrentar a crise humanitária gerada pela austeridade.

A Comissão Europeia tem poucas esperanças sobre a possibilidade de um acordo nos próximos dias que permita à Grécia sair do impasse em que se encontra, a apenas três semanas do final do seu resgate financeiro, disse esta terça-feira a porta-voz comunitária, Mina Andreeva.

«As nossas expetativas de chegar a um acordo final [na reunião de quarta-feira] ou na Cimeira europeia de quinta-feira são baixas», disse o porta-voz.

O Governo de Tsipras considera que a terceira parte do programa de ajustamento deve ser eliminada e sugere em alternativa um plano em cooperação com a Organização para o Desenvolvimento e Cooperação Económica, cujo secretário-geral, José Ángel Gurría, chega esta terça-feira a Atenas para manter na quarta-feira uma reunião com o primeiro-ministro grego.