O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, vai em visita à Rússia a 8 de abril. A informação está a ser avançada pela AFP.

O presidente russo, Vladimir Putin, tinha convidado esta quinta-feira o primeiro-ministro grego a visitar Moscovo, num gesto de boa vontade, depois dos dois líderes terem discutido a expansão de laços entre os seus países.

Na altura, a informação era que Tsipras iria deslocar-se à Rússia a 9 de maio.

Desde a tomada de posse, o aproximar de Atenas a Moscovo provocou algum incómodo na União Europeia. Mas o primeiro-ministro grego garantiu que não iria pedir ajuda financeira a Moscovo.

Aquando da vitória do Syriza, o chefe de Estado russo expressou confiança de que Rússia e Grécia vão continuar aumentar a interação em todas as esferas e irão cooperar de forma efetiva nos esforços para resolver os atuais problemas europeus e internacionais.

A União Europeia teme um aproximar dos dois países, o que iria trazer uma desestabilização ainda maior no complicado mapa geopolítico, agudizando a tensão nomeadamente com a Ucrânia.
 
O governo de Atenas enfrenta uma crise monetária enquanto permanece fora dos mercados de dívida, e os credores congelaram ajudas financeiras até que as reformas sejam concluídas. A Grécia alcançou um acordo com o Eurogrupo para prolongar por quatro meses o programa de assistência financeira, mas para desbloquear o dinheiro é necessário que apresente medidas concretas, o que ainda não aconteceu.

A Grécia está sob assistência financeira desde 2010 e recebeu dois empréstimos dos parceiros europeus e do Fundo Monetário Internacional no total de 240 mil milhões de euros em troca da implementação de duras medidas de austeridade.

Atenas pagou esta segunda-feira ao Fundo Monetário Internacional 580 milhões de euros correspondentes à terceira tranche do empréstimo que vence em março.

A Grécia tem de pagar ao FMI na próxima sexta-feira a quarta tranche no valor de 350 milhões de euros e outros 460 milhões de euros a 13 de abril. 

A 06 de março último, a Grécia devolveu ao FMI a primeira tranche de 310 milhões de euros a 06 de março e a segunda, de 348 milhões de euros, na passada sexta-feira.