"A confiança, no entanto, é algo que se perde muito rapidamente e que exige muito tempo para ser reconstituída, e portanto o Governo grego também está consciente de que terá que continuar a dar provas do seu empenho e da sua determinação para voltar a merecer confiança mais plena", afirmou.






"Independentemente de nós podermos ter mais ou menos simpatia uns pelos outros, porque, enfim, passamos muitas horas juntos, sobretudo recentemente, temos passado muitas horas juntos, as decisões nunca são influenciadas por esse tipo de avaliação de personalidade. Estamos a falar de matérias de enorme importância", comentou.


"Estamos a falar de uma decisão que terá que ser tomada nos próximos dias, literalmente. Nesta semana ainda", declarou.