É o contra-ataque da Grécia. Depois da Chanceler Angela Merkel ter encorajado Alexis Tsipras, o primeiro-ministro grego, a aceitar a oferta que considerou "generosa" por parte dos credores e de dizer que é altura do governante grego dar um passo atrás, Tsipras reage e garante que não aceita ultimatos.

As palavras do chefe do executivo helénico adensaram a tensão entre a Grécia e os credores internacionais. Alexis Tsipras diz que não vai ser alvo de chantagem e que o governo continuará a lutar pelos valores da União Europeia.