O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, disse ao seu governo que os credores não aceitaram as propostas gregas para desbloquear a ajuda financeira, avançou a agência Bloomberg, citando fonte do governo do Syriza.

Na sua conta de Twitter, Tsipras diz que esta rejeição dos credores em aceitar medidas de substituição não tem precedentes e nunca aconteceu, dando como exemplo Irlanda e Portugal.
 
E continua: “ Esta estranha atitude pode esconder duas possibilidades: ou não querem um acordo ou estão a servir interesses específicos na Grécia”
  Entretanto fonte da União Europeia adiantou à Reuters que as negociações vão continuar.

“Nada está perdido. As negociações continuam e a reunião com Tsipras seguirá como planeado”


Segundo a Reuters, os credores da Grécia apresentaram novas contrapropostas, numa tentativa de reduzir as diferenças nas negociações.

O governante vai reunir-se esta quarta-feira com os líderes do Banco Central Europeu, do Fundo Monetário Internacional e da Comissão Europeia, à margem do Eurogrupo, numa tentativa de alcançar um acordo antes do deadline do pagamento ao FMI a 30 de junho.

À entrada para o encontro, o presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem disse que ainda há muito trabalho a fazer. 

"Ainda não chegámos lá"


Esta segunda-feira, Atenas tinha enviado aos credores um novo pacote de propostas, que incluíam aumento de impostos às empresas e aos contribuintes mais ricos.

Para além dos credores, as propostas terão ainda de passar pelo crivo do Parlamento helénico, avizinhando-se novo problema, já que deputados do Syriza juram que votarão contra o acordo por causa das cedências excessivas aos credores.