A Grécia está a trabalhar para que a reunião de emergência de segunda-feira seja um “sucesso”, disse o Governo, após o impasse entre Atenas e os credores.

“Esperamos que as negociações finais decorram ao mais alto nível político da Europa e estamos a trabalhar para que a cimeira seja um sucesso”, disse esta sexta-feira o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, em comunicado.

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, convocou uma cimeira de emergência com os líderes dos 19 países da zona euro para segunda-feira, em Bruxelas, numa altura em que aumentam os receios de que a Grécia não consiga pagar as dívidas até ao prazo estabelecido, 30 de junho.


O ministro da Reforma Administrativa da Grécia, Yorgos Katrugalos, admitiu que o seu governo está aberto a novas concessões na negociação com os credores, mas não a tudo o que lhe pedem, em particular no que toca às pensões.

“Não podemos aceitar, por exemplo, os novos cortes nas pensões”, sobretudo tendo em conta que muitos reformados estão já no limiar da pobreza, disse Katrugalos, numa entrevista à rádio francesa RFI.


O ministro afirmou também que a Grécia não aceita “novas medidas de austeridade que vão agravar ainda mais a economia”.