O Ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schäuble, sublinhou este sábado aos jornalistas que o alívio da dívida não é possível, como mostram os tratados.

O responsável admitiu que vêm ai negociações extraordinariamente difíceis, e acrescentou que os ministros das Finanças não vão aceitar propostas que não sejam credíveis.

“A esperança na situação grega foi destruída nos últimos meses de uma maneira incrível”


O vice-presidente da Comissão Europeia responsável pelo euro, Valdis Dombrovkis, disse este sábado, em Bruxelas, que agora é possível ver “claramente vontade do lado grego” em alcançar um acordo, embora advertindo que ainda há muitas questões por acertar.

O ministro das Finanças da Holanda, Eric Wiebes, à chegada ao Eurogrupo disse que "o plano é mais fraco nalguns pontos do que aquilo que devia ser” (...) Muitos governos, incluindo o meu, estão preocupados com a implementação de reformas”

O presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, admitiu que esta vai ser uma reunião difícil. O comissário europeu dos Assuntos Económicos afirmou que “o governo grego fez gestos importantes” nos últimos dias, mas advertiu que a “chave” para um acordo está numa rápida implementação de reformas.  

Resta saber se entre as questões por resolver também está a "crise de confiança" que o impasse criou e que já levou à demissão de Yannis Varoufakis. Nos corredores fala-se numa remodelação do governo grego.