O ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schäuble, mostrou-se irritado com o homólogo grego por ter relançado a ideia de um perdão parcial da dívida grega.

Schäuble encontrou-se esta quinta-feira em Berlim com os deputados do campo conservador para lhes pedir para aprovarem a extensão de quatro meses do programa de assistência à Grécia, até 30 de junho, na sequência da decisão da aprovação do Eurogrupo.

Segundo participantes no encontro, citados pela AFP, o ministro, defensor de uma linha dura com a Grécia, mostrou-se «estupefacto» com as declarações de Yanis Varufakis que evocou de novo o cenário de um perdão parcial da colossal dívida grega (175% do Produto Interno Bruto grego), um verdadeiro número vermelho para Berlim.

«Já não há uma frente unida contra a Grécia sobre o debate da dívida», afirmou Varoufakis na quarta-feira à rádio M., apelando para «se começar imediatamente» negociações sobre este assunto com os credores.

Os deputados alemães preparam-se para aprovar com uma esmagadora maioria a extensão da ajuda, mas segundo uma sondagem divulgada na quarta-feira apenas 21% dos alemães são favoráveis a esta aprovação.