O ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schäuble, afirmou esta quarta-feira que a Grécia «tem o tempo contado» e considerou «cada vez mais difícil encontrar soluções» para os problemas de Atenas.

«Eu, e todos os que seguem a situação, temos a impressão de que o tempo está contado para a Grécia», com os cofres vazios, declarou o ministro durante a conferência de imprensa de apresentação do projeto de orçamento para 2016, em Berlim.

«Vai ser cada vez mais difícil encontrar soluções, essa é a grande preocupação», acrescentou o ministro, na véspera de uma cimeira europeia em Bruxelas e quando volta a ser agitada a possibilidade de uma saída da Grécia da zona euro.

As relações entre Berlim e Atenas voltaram a ficar mais tensas na semana passada, quando o governo grego se queixou de declarações feitas por Schäuble sobre o seu homólogo grego, Yanis Varoufakis.

«Não tenho conhecimento de qualquer declaração incorreta feita por mim em relação a qualquer político grego», disse o ministro.

Por sua vez, o ministro da Economia alemão, Sigmar Gabriel, pediu uma racionalização do debate.

«Não se trata da Grécia contra a Alemanha», afirmou, «mas de manter a estabilidade da zona euro», acrescentou, reafirmando o seu «enorme respeito pelo que a população grega sofreu» nos últimos anos de crise no país.

Esta quarta-feira o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, também afirmou que continua preocupado com a falta de progressos nas negociações entre a Grécia e os seus credores e exortou «todas as partes» a intensificarem os esforços.