Atenas está determinada em continuar as negociações com os credores nas próximas semanas, com vista a um acordo, afirmou esta segunda-feira o porta-voz do governo grego Gabriel Sakellaridis.


“A nossa proposta é definitivamente o ponto de arranque. A missão da delegação grega é a de explorar a possibilidade de uma solução que satisfaça os dois lados”


No final da reunião desta manhã entre o ministro grego das Finanças e o seu homólogo alemão, em Berlim, Yanis Varoufakis disse aos jornalistas que a reunião decorreu num tom “bastante amigável”, com uma conversa “produtiva”. O responsável sublinhou que não houve negociações nesta reunião informal.

Para o responsável, a crise da dívida grega precisa de uma solução de consenso desenvolvida conjuntamente e acordada entre a Grécia e os credores.

"Estamos em momentos muito difíceis para a União Europeia e em especial para a zona euro, a obrigação dos políticos eleitos é assumir as suas responsabilidades ao mais alto nível para alcançar um acordo"


Esta manhã também o ministro das Finanças francês, Michel Sapin deixou um aviso: a saída da Grécia do euro não terá grandes consequências para a zona euro. Entrevistado pela rádio francesa RTL, o responsável sublinhou que espera um acordo em tempo útil, mas não pareceu preocupado se as negociações não trouxerem um acordo.