O Presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem, considera o resultado do referendo "lamentável para o futuro da Grécia". Isto depois de os resultados provisórios apontarem uma vitória expressiva do "Não", com mais de 60% dos votos. Em comunicado, Dijsselbloem diz que a recuperação da economia da Grécia implica "medidas difíceis e reformas" que são "inevitáveis"

"Este resultado é lamentável para o futuro da Grécia. Para haver recuperação da economia da Grécia, medidas difíceis e reformas são inevitáveis."


No mesmo comunicado, o também ministro das Finanças da Holanda diz que o Eurogrupo vai agora esperar pelas iniciativas do governo grego e discutir a situação do país helénico numa reunião marcada para terça-feira.

"Vamos esperar pelas iniciativas das autoridades gregas. O Eurogrupo vai discutir a situação na terça-feira, 7 de julho."


Além da reunião do Eurogrupo, também foi agendada para terça-feira uma cimeira extraordinária dos líderes da zona euro. O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, já confirmou o encontro marcado para as 18:00, em Bruxelas.