“Para de te queixar Grécia. Os tempos estão difíceis para todos": começa assim uma crónica de uma jornalista norte-americana que reside em Portugal, e que decidiu deixar o desabafo esta quarta-feira no Washington Post, face aos pedidos do primeiro-ministro grego para uma solidariedade europeia.

Falando de países como Irlanda e Espanha, a jornalista prefere, no entanto, citar o exemplo de Portugal.

“Portugal foi um dos países mais afetados pelas medidas de austeridade. Como uma observadora não europeia, testemunhei coisas que nunca imaginei ver num país europeu. Muitas famílias não tinham dinheiro para comer e tinham que recorrer às refeições servidas nas escolas ou centros comunitários”


A jornalista refere que, nomeadamente em Portugal, a situação está lentamente a melhorar, com o país a beneficiar de um recorde de turistas, mas ressalva que o desemprego ainda é muito alto.

“Neste contexto, o pedido grego de solidariedade pode não trazer a generosidade que Tsipras queria ver”